"No dia em que a flor de lótus desabrochou
A minha mente vagava, e eu não a percebi.
Minha cesta estava vazia e a flor ficou esquecida.
Somente agora e novamente, uma tristeza caiu sobre mim.
Acordei do meu sonho sentindo o doce rastro
De um perfume no vento sul.
Essa vaga doçura fez o meu coração doer de saudade.
Pareceu-me ser o sopro ardente no verão, procurando completar-se.
Eu não sabia então que a flor estava tão perto de mim
Que ela era minha, e que essa perfeita doçura
Tinha desabrochado no fundo do meu coração. "

Rabindranath Tagore








terça-feira, 11 de setembro de 2012





"Ele me comia
Com aqueles olhos
De comer fotografia

-Eu disse: X."



Chico Buarque - A História de Lily Braun








4 comentários:

Pedro Luis López Pérez disse...

Esas miradas que dicen todo lo que pensamos y la belleza que vemos.
Un abrazo.

Kelly disse...

Pedro,

Não conseguimos esconder nada, pois o olhar entrega.

Abraço

Will Moa disse...

Provocante, envolvente e irresistível a poesia desse post.

Adorável!

Nunca duvidei que o que enche a boca d'água é apreciar primeiro com os olhos.

Um abraço, Kelly!

Kelly disse...

Will,

Nem eu duvido. Olhares seduzem, provocam. Não há o que um olhar não entregue.


Beijo