"No dia em que a flor de lótus desabrochou
A minha mente vagava, e eu não a percebi.
Minha cesta estava vazia e a flor ficou esquecida.
Somente agora e novamente, uma tristeza caiu sobre mim.
Acordei do meu sonho sentindo o doce rastro
De um perfume no vento sul.
Essa vaga doçura fez o meu coração doer de saudade.
Pareceu-me ser o sopro ardente no verão, procurando completar-se.
Eu não sabia então que a flor estava tão perto de mim
Que ela era minha, e que essa perfeita doçura
Tinha desabrochado no fundo do meu coração. "

Rabindranath Tagore








quarta-feira, 27 de julho de 2011


 Acho que a única razão
de sermos tão apegados em memórias,
é que elas não mudam, mesmo
que as pessoas tenham mudado.

2 comentários:

Joana disse...

Oi,Kelly!O seu blog é show! Nossa! Cheio de imagens lindas e mensagens encantadoras. Meu nome é Joana e tenho 12 anos.Venha conhecer meus bloguinhos também.

sorrindocomjesus.blogspot.com
entresonhos2.blogspot.com

Que Jesus continue te inspirando cada vez mais!
Beijinhos, Joana

Dé Mattos disse...

Amadinha, que verdade isso heim!
Eu tenho boas lembranças tb de pessoas que já não são tão boas para mim, mas que um dia foram significativas.

Beijo grande guria!