"No dia em que a flor de lótus desabrochou
A minha mente vagava, e eu não a percebi.
Minha cesta estava vazia e a flor ficou esquecida.
Somente agora e novamente, uma tristeza caiu sobre mim.
Acordei do meu sonho sentindo o doce rastro
De um perfume no vento sul.
Essa vaga doçura fez o meu coração doer de saudade.
Pareceu-me ser o sopro ardente no verão, procurando completar-se.
Eu não sabia então que a flor estava tão perto de mim
Que ela era minha, e que essa perfeita doçura
Tinha desabrochado no fundo do meu coração. "

Rabindranath Tagore








quarta-feira, 10 de outubro de 2012









"Que minhas incertezas não abafem minha vontade de chegar. Que suas certezas estejam cada dia mais amarradas no meu olhar. Que você possa valorizar minha paciência, doando a mim, a cada dia, mais um pedaço do teu riso. Que nossa intimidade seja leve e florida. Que tudo que eu preciso seja decifrado pelo seu cuidado de querer estar. Que eu possa proteger seus medos e enfrentar suas inseguranças com delicadeza. Que sua casca formada pelo tempo se rompa por completo, amanhecendo em ti, todo bonito sentimento. 
E que você não seja mais indiferente. Não. Que seja diferente dessa vez, por um instante, um mês, uma vida inteira. Que essa parcela de "quase" que ainda nos resta, se desmanche aos poucos no nosso amanhã, assim como o açúcar do nosso hoje anda se desmanchando no céu da nossa boca. Que você possa me demonstrar seu afeto para reforçar minha paz. Que a cada dia você se entregue mais, sem freios e receios, sem menos nem mais. Que sejamos então, assim, sem pressa, quase uma prece."




Lilian Vereza



2 comentários:

Daíse disse...

Olá!!!

Li o primeiro post e não consegui parar mais... Adorei o seu blog!!!
Voltarei sempre!!!

Beijos!!!

Kelly disse...

Daíse,

Será um prazer te ter aqui novamente.
Seja bem vinda sempre,viu!

Beijos