"No dia em que a flor de lótus desabrochou
A minha mente vagava, e eu não a percebi.
Minha cesta estava vazia e a flor ficou esquecida.
Somente agora e novamente, uma tristeza caiu sobre mim.
Acordei do meu sonho sentindo o doce rastro
De um perfume no vento sul.
Essa vaga doçura fez o meu coração doer de saudade.
Pareceu-me ser o sopro ardente no verão, procurando completar-se.
Eu não sabia então que a flor estava tão perto de mim
Que ela era minha, e que essa perfeita doçura
Tinha desabrochado no fundo do meu coração. "

Rabindranath Tagore








segunda-feira, 17 de setembro de 2012







‎"Sigo à risca. Me descuido e vou… Quebro a cara. 
Quebro o coração. Tropeço em mim. Me atolo nos cinco sentidos. 
Viver não é perigoso? Então, com sua licença! 
Não tenho medo. Nasci assim. Encantado pela vida. O sertão é dentro da gente.
Ah, como não? Aqui tudo é achado. Somos ferro e fogo. Perigo nunca falta! 
Sertão é igual coração. Se quiser, que venha armado! 
Tudo é igual. Aqui se vive. Aqui se morre. 
Dentro e fora da gente. 
Confusão demais em grande demasiado sossego."



Guimarães Rosa


2 comentários:

Will Moa disse...

Guimarães, meu guru nas horas de reflexão sobre a vida.

Que linda inspiração a sua, Kelly, postar esse trecho tão profundo.

Semana de maravilhosa reflexão para você!

Kelly disse...

Will,

Obrigada, é o que preciso.
Refletir e refletir.

Beijos