"No dia em que a flor de lótus desabrochou
A minha mente vagava, e eu não a percebi.
Minha cesta estava vazia e a flor ficou esquecida.
Somente agora e novamente, uma tristeza caiu sobre mim.
Acordei do meu sonho sentindo o doce rastro
De um perfume no vento sul.
Essa vaga doçura fez o meu coração doer de saudade.
Pareceu-me ser o sopro ardente no verão, procurando completar-se.
Eu não sabia então que a flor estava tão perto de mim
Que ela era minha, e que essa perfeita doçura
Tinha desabrochado no fundo do meu coração. "

Rabindranath Tagore








domingo, 30 de setembro de 2012






"Há alguns dias, Deus — ou isso que chamamos assim, tão descuidadamente, de Deus —, enviou-me certo presente ambíguo: uma possibilidade de amor. Ou disso que chamamos, também com descuido e alguma pressa, de amor. E você sabe a que me refiro. Antes que pudesse me assustar e, depois do susto, hesitar entre ir ou não ir, querer ou não querer — eu já estava lá dentro.

 E estar dentro daquilo era bom."



Caio Fernando de Abreu



4 comentários:

Sayuri Okamoto disse...

e descobrir as coisas sempre é uma felicidade constante

beijos ♥

Kelly disse...

Sayuri,

Descobrir aquilo que te faz bem é uma alegria.

Beijos linda!
Bom te ter aqui.

Moacir Willmondes disse...

Chega e pousa, nos fazendo perceber o perfume das flores que nem mais lembrávamos dentro de nós...

Um abraço e uma ótima semana para você, Kelly!

Kelly disse...

Will,

Que verdade tu falou.


Te desejo uma linda semana.
Beijo