"No dia em que a flor de lótus desabrochou
A minha mente vagava, e eu não a percebi.
Minha cesta estava vazia e a flor ficou esquecida.
Somente agora e novamente, uma tristeza caiu sobre mim.
Acordei do meu sonho sentindo o doce rastro
De um perfume no vento sul.
Essa vaga doçura fez o meu coração doer de saudade.
Pareceu-me ser o sopro ardente no verão, procurando completar-se.
Eu não sabia então que a flor estava tão perto de mim
Que ela era minha, e que essa perfeita doçura
Tinha desabrochado no fundo do meu coração. "

Rabindranath Tagore








domingo, 16 de setembro de 2012






"A memória guardará o que valer a pena.
 A memória sabe de mim mais que eu; e ela não perde o que merece ser salvo." 



Eduardo Galeano



2 comentários:

Pedro Luis López Pérez disse...

Esa Memoria que ha de ser un Filtro para que sólo conservemos lo bueno de las circunstancias que nos afectan.
Un abrazo.

Kelly disse...

Pedro,

Com certeza.
Uma linda semana pra ti.

Abraço