"No dia em que a flor de lótus desabrochou
A minha mente vagava, e eu não a percebi.
Minha cesta estava vazia e a flor ficou esquecida.
Somente agora e novamente, uma tristeza caiu sobre mim.
Acordei do meu sonho sentindo o doce rastro
De um perfume no vento sul.
Essa vaga doçura fez o meu coração doer de saudade.
Pareceu-me ser o sopro ardente no verão, procurando completar-se.
Eu não sabia então que a flor estava tão perto de mim
Que ela era minha, e que essa perfeita doçura
Tinha desabrochado no fundo do meu coração. "

Rabindranath Tagore








quarta-feira, 9 de maio de 2012





Mais um dia? Não, o dia!
A vida não pode ser repetição.
Ainda que tudo esteja igual, eu não preciso ser.


(Pe. Fábio de Melo)



Cansada da mesmice... 
Mas quem disse que meus dias devem ser todos iguais?
Porque ainda que tudo esteja igual, eu não preciso ser.





Um comentário:

Alê disse...

Intenso Pe. Fábio,

Gosto da simplicidade profunda dele,



Bjkas