"No dia em que a flor de lótus desabrochou
A minha mente vagava, e eu não a percebi.
Minha cesta estava vazia e a flor ficou esquecida.
Somente agora e novamente, uma tristeza caiu sobre mim.
Acordei do meu sonho sentindo o doce rastro
De um perfume no vento sul.
Essa vaga doçura fez o meu coração doer de saudade.
Pareceu-me ser o sopro ardente no verão, procurando completar-se.
Eu não sabia então que a flor estava tão perto de mim
Que ela era minha, e que essa perfeita doçura
Tinha desabrochado no fundo do meu coração. "

Rabindranath Tagore








segunda-feira, 9 de abril de 2012




Especial pra quem é Flor de Lótus de 29 anos e está em crise:


a crise dos 29

(por Milena Castino)
É impressionante o quanto a vida de uma menina muda quando ela chega perto dos 30 anos. Eu ainda acho que as mulheres entram mais em crise quando completam 29 anos do que 30. Porque é aí que começa toda a preparação, o pânico, o medo. É nos 29 que a ficha dos longos 30 anos cai.



A maioria das meninas (ou mulheres?) que eu conheço estão passando por isso neste minuto. Vejo tudo mudando pra todo mundo. É um tal de fazer listas, planos, “coisas que não quero quando chegar aos 30″, “a pessoa que não quero mais ser”, “30 coisas pra fazer antes dos 30″. Uma infinidade de planos, listas e projetos. É como se alguém apertasse o botão de emergência da vida, parasse o trem, colocasse um espelho na tua frente e dissesse “e agora, colega, como é que vai ser daqui pra frente? Trinta já passaram. Foram bem vividos?”

O tempo corre como a água da torneira. E parece que depois dos 20 alguém abre a torneira demais.

Outro dia saí pra andar no parque com uma amiga de 19 anos. E me vi dando instruções sobre a vida, aquela estória que a gente escutava quando não tinha maturidade suficiente pra absorver. "Aproveita muito essa fase, essa é a melhor fase da sua vida, você vai pra Universidade, será inesquecível, larga o namorado, é melhor solteira"tudo o que eu escutava daquele bando de gente “velha” que achava que a vida era melhor aos 19.

Mas espera um pouco! A vida não pára na casa dos vinte! Aqueles não foram solitariamente os melhores anos das nossas vidas! Olhe pra gente agora! Tanta coisa aconteceu desde os vinte e poucos, tanta maturidade, tanta disposição! Então aproveite esta fase, amiga. Porque esta também pode ser a melhor da tua vida.

Talvez você já tenha aprendido a falar outro idioma, já tenha mergulhado em alto mar ou saltado de paraquedas. Talvez você não tenha feito nada disso e só conheça o Rio Grande do Sul. Pode ser que seus planos de ser uma alta executiva de uma multinacional não tenham se realizado. Ou você ainda não se casou como imaginava quando era criança, quando colocava a idade que queria se casar como 22 nas brincadeiras de papel. Talvez não tenha conhecido o grande amor da sua vida, não tenha visitado Paris. Talvez nunca tenha escrito um livro, plantado uma árvore ou feito um filho. Mas olhe para trás. Veja tudo o que você fez, sinta o peso da bagagem. Imagine se tivesse entrado naquele avião aos 19 com toda a maturidade de hoje.

Ainda falta um monte de coisa, eu sei. Falta correr uma maratona, voar de balão, conhecer a Tailândia, emagrecer, morar na praia, saber realmente o que quer fazer da vida. Aposto que você ainda tem um monte de planos te esperando num pedaço de papel guardado numa gaveta qualquer.

Mas é aí que mora o segredo. Pra que colocar planos tão importantes em uma lista com dia e hora pra acabar? É saudável planejar e tentar alcançar os nossos sonhos, a tão varrida liberdade, o amor pra toda vida. Mas sonhos são artigos de uma vida toda. Não temos que realizar tudo aos 30. Guardem um pouco para os 40, os 50, os 80. Faça a Route 66 numa Harley Davidson quando tiver 79 anos.

Quem foi que disse que a partir deste momento você precisa de um certificado de que viveu plenamente? Não há nenhuma prova de que estamos neste mundo para levar a vida tão a sério, então relaxe. Se você ainda não decidiu tua profissão, ainda não conheceu o homem da tua vida, não se desespere. Ninguém vai te sentar numa sala com vidro escuro no dia do teu aniversário de 30 e te perguntar o que alcançou até aqui.

Nós temos 50% de chance de estarmos aqui amanhã, então viva o hoje. Faça o que tiver vontade agora. Se quiser planejar, ótimo, mas não deixe que sua vida dependa do planejamento. Há de existir sempre um plano B, uma alternativa, uma saída. Pra tudo nessa vida.

Por isso, amigas quase Balzaquianas, experimentemos viver os 29 como apenas 29. Façam planos, listas, mas não se esqueçam de viver os 29, não deixem este ano ser apenas uma ponte para os trinta. Esqueçamos os 30 e as dezenas inteiras por um tempo. Os 29 são agora, faça o que quiser fazer hoje, porque o amanhã simplesmente não existe, é tudo um recomeço. Mas a torneirinha continua jorrando.


“Bendito quem inventou o belo truque do calendário, pois o bom da segunda-feira, do dia 1º do mês e de cada ano novo é que nos dão a impressão de que a vida não continua, mas apenas recomeça” - Mário Quintana





Estas palavras recebi de uma amiga de longa data...
Priscilla...Lindas palavras!!

3 comentários:

Argonauta021 disse...

" ... e aos 29 com retorno de saturno, decidi começar a viver(...) e tive 29 amigos outra vez..." ( Vinte e nove - Legião Urbana)

Abraços

QUIM disse...

ja aqui estou querida..um beijo..está lindo...

Rita Moraes disse...

Como uma balzaquiana digo que não existe coisa melhor que chegar aos trinta,tanta bobagem a gente poe p dormir.
Eu não tive essa crise,eu fiquei muito ansiosa porque chegar aos trinta era como se fosse fechar um ciclo e iniciar um que eu sempre projetei. Era lá nos trinta que os meus sonhos desde menina,iriam se realizar. Era lá que eu me sentiria a mulher mais feliz,mais adulta,mais segura. E foi assim. Vi o concreto na minha mão. Pude viver os sonhos,pude ser livre,porque a cabeça da gente é que resolve essas coisas. E hoje estou aqui,tão feliz e tão certa que não gostaria de viver nenhuma idade. Essa é a melhor. E o meu desejo é que as futuras balzaquianas se sintam assim,sintam essa magia que eu senti.
Beijo amora!