"No dia em que a flor de lótus desabrochou
A minha mente vagava, e eu não a percebi.
Minha cesta estava vazia e a flor ficou esquecida.
Somente agora e novamente, uma tristeza caiu sobre mim.
Acordei do meu sonho sentindo o doce rastro
De um perfume no vento sul.
Essa vaga doçura fez o meu coração doer de saudade.
Pareceu-me ser o sopro ardente no verão, procurando completar-se.
Eu não sabia então que a flor estava tão perto de mim
Que ela era minha, e que essa perfeita doçura
Tinha desabrochado no fundo do meu coração. "

Rabindranath Tagore








quinta-feira, 8 de março de 2012




Alguém me disse que você ainda me ama. E que nunca me amou. 
E que tem outras. E que não tem ninguém.
Outro alguém me disse que sou perfeita pra você. E que não temos nada a ver.
 E que tudo pra nós dá certo. E que tudo entre nós dá errado.
E outro alguém me disse que você tem medo. E que não tem vontade.
 E que tem certeza. E que não sabe.
E ainda mais um alguém me disse que você só ama o que convém. E que você não ama ninguém. 
E que só quer me usar. E que não consegue viver sem mim.
Disseram-me um monte de coisas. Tantas coisas que eu já não sei. 
Só sei que é muito difícil conciliar o que todos esses "alguéns" que eu sou me dizem.

Um comentário:

Argonauta021 disse...

esse alguém pode não saber,
por que saber é pouco importa,
se o sentimento esta à porta
não dá pra impedi-lo de entrar,
Sendo quem somos, quem fomos ou quem vamos ser.

Obrigado pela visita.
Abração!