"No dia em que a flor de lótus desabrochou
A minha mente vagava, e eu não a percebi.
Minha cesta estava vazia e a flor ficou esquecida.
Somente agora e novamente, uma tristeza caiu sobre mim.
Acordei do meu sonho sentindo o doce rastro
De um perfume no vento sul.
Essa vaga doçura fez o meu coração doer de saudade.
Pareceu-me ser o sopro ardente no verão, procurando completar-se.
Eu não sabia então que a flor estava tão perto de mim
Que ela era minha, e que essa perfeita doçura
Tinha desabrochado no fundo do meu coração. "

Rabindranath Tagore








quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012




Puro Engano

Esconde-esconde literário.

Letras camuflando intenções.

A cada palavra escrita, silêncio.

Melhor ler as entrelinhas.



3 comentários:

QUIM disse...

Melhor mesmo...beijo querida boa noite..adoro aqui.

Delano Alexandria disse...

Olá Vascaína, Eu já fiz lá o seu post..kkkkkk


Beijosss

Will disse...

pisssssssssssssuuuuuuu!

[cochichando]: concordo! O que se revela mais importante é escrito no quase silêncio dos corpos se entendendo...

Uma ótima tarde de quinta-feira para você!