"No dia em que a flor de lótus desabrochou
A minha mente vagava, e eu não a percebi.
Minha cesta estava vazia e a flor ficou esquecida.
Somente agora e novamente, uma tristeza caiu sobre mim.
Acordei do meu sonho sentindo o doce rastro
De um perfume no vento sul.
Essa vaga doçura fez o meu coração doer de saudade.
Pareceu-me ser o sopro ardente no verão, procurando completar-se.
Eu não sabia então que a flor estava tão perto de mim
Que ela era minha, e que essa perfeita doçura
Tinha desabrochado no fundo do meu coração. "

Rabindranath Tagore








terça-feira, 10 de janeiro de 2012




Toda reforma, é para fazer melhoras e, algumas coisas, por não poderem ser recuperadas, terão de ser substituídas.(...)
 Pois estou tão disposta às reformas, mesmo que isso inclua marretadas no meu coração logo pela manhã, bem cedo. 
A gente, quando enjoa da dor, começa a ressignificar os acontecimentos, e percebe que se agarrar a um momento bom, acelera o processo de cura. Tenho tido bons momentos e todos os dias Deus me dá uma alegria que ameniza qualquer desespero. 
Paciência deve ser o meu aprendizado agora... Aceito e agradeço.


4 comentários:

Delano Alexandria disse...

É isso ai.

Tenha um bom dia e toda sorte de benção!

Moran, andarilho disse...

Kelly, o exercício da paciência é algo que eleva nossa estirpe a novos padrões. Saber a hora de limpar nossos porões das tralhas que nos impedem de caminhar mais rápidos é fundamental. Buscarmos o conforto das coisas boas e que nos impulsione a frente primordial. Torço por ti e que teu caminhar seja cada vez mais suave. Bjs do amigo, Moran

Will disse...

Aprendizado necessário, construído na escada cujos degraus são um passo de cada vez.

Adoro vir aqui.

Um abraço!

QUIM disse...

Para construir algo de novo!Primeiro é necessário destruir.bj