"No dia em que a flor de lótus desabrochou
A minha mente vagava, e eu não a percebi.
Minha cesta estava vazia e a flor ficou esquecida.
Somente agora e novamente, uma tristeza caiu sobre mim.
Acordei do meu sonho sentindo o doce rastro
De um perfume no vento sul.
Essa vaga doçura fez o meu coração doer de saudade.
Pareceu-me ser o sopro ardente no verão, procurando completar-se.
Eu não sabia então que a flor estava tão perto de mim
Que ela era minha, e que essa perfeita doçura
Tinha desabrochado no fundo do meu coração. "

Rabindranath Tagore








quinta-feira, 5 de janeiro de 2012





Minha tristeza não tem pedigree,
já a minha vontade de alegria,
sua raiz vai ao meu mil avô.


3 comentários:

Sayuri Okamoto disse...

quem dera a tristeza ser do jeito que a gente quer...


beijos

QUIM disse...

tenho que confessar que morria de saudades de um post teu..e como sempre me arrasate ..adoro estar aqui..magico.bj

"Alma Exposta" disse...

...te seguindo Flôr de Lótus...encantada...