"No dia em que a flor de lótus desabrochou
A minha mente vagava, e eu não a percebi.
Minha cesta estava vazia e a flor ficou esquecida.
Somente agora e novamente, uma tristeza caiu sobre mim.
Acordei do meu sonho sentindo o doce rastro
De um perfume no vento sul.
Essa vaga doçura fez o meu coração doer de saudade.
Pareceu-me ser o sopro ardente no verão, procurando completar-se.
Eu não sabia então que a flor estava tão perto de mim
Que ela era minha, e que essa perfeita doçura
Tinha desabrochado no fundo do meu coração. "

Rabindranath Tagore








domingo, 8 de janeiro de 2012

Coisa boa esta vida!




Mais tarde eu saberia que certas experiências se partilham - até mesmo sem palavras – só com gente da mesma raça. 
O que não significa nem cor, nem formato de olho, nem tipo de cabelo, mas o indefinível parentesco da alma.


Um comentário:

QUIM disse...

lindo esse texto viu ..amei.bj