"No dia em que a flor de lótus desabrochou
A minha mente vagava, e eu não a percebi.
Minha cesta estava vazia e a flor ficou esquecida.
Somente agora e novamente, uma tristeza caiu sobre mim.
Acordei do meu sonho sentindo o doce rastro
De um perfume no vento sul.
Essa vaga doçura fez o meu coração doer de saudade.
Pareceu-me ser o sopro ardente no verão, procurando completar-se.
Eu não sabia então que a flor estava tão perto de mim
Que ela era minha, e que essa perfeita doçura
Tinha desabrochado no fundo do meu coração. "

Rabindranath Tagore








terça-feira, 20 de dezembro de 2011




Hoje, depois de muito tempo, eu acordei e não me olhei no espelho. 
Eu não precisei confirmar se eu era bonita. Eu acordei tendo certeza.



2 comentários:

Will disse...

É que tua essência não se despenteia e nem se dessarruma ao dormir. Por isso, quando acordas, na verdade desabrochas para encantar o mundo mais uma vez.

Delícia ver uma mulhar com a estima soprando as nuvens e lhe trazendo o sol para admirar suas melhores cores no espelho.

Ótima terça, Kelly.

Moran, andarilho disse...

Kelly, precisamos exatamente disto... desta certeza de que nossa beleza interior transcende e nos torna por consequência um Todo mais belo. Linda noite pra ti. Bjs, Moran