"No dia em que a flor de lótus desabrochou
A minha mente vagava, e eu não a percebi.
Minha cesta estava vazia e a flor ficou esquecida.
Somente agora e novamente, uma tristeza caiu sobre mim.
Acordei do meu sonho sentindo o doce rastro
De um perfume no vento sul.
Essa vaga doçura fez o meu coração doer de saudade.
Pareceu-me ser o sopro ardente no verão, procurando completar-se.
Eu não sabia então que a flor estava tão perto de mim
Que ela era minha, e que essa perfeita doçura
Tinha desabrochado no fundo do meu coração. "

Rabindranath Tagore








terça-feira, 27 de setembro de 2011


Tomara que os nossos enganos mais devastadores 
não nos roubem o entusiasmo para semear de novo. 
Que a lembrança dos pés feridos quando, 
valentes, descalçamos os sentimentos, 
não nos tire a coragem da confiança.
 Que sempre que doer muito, os cansaços da gente 
encontrem um lugar de paz para descansar na varanda 
mais calma da nossa mente. 
Que o medo exista, porque ele existe, 
mas que não tenha tamanho para ceifar o nosso amor.

2 comentários:

DANI disse...

Kelly querida...

Fazendo uma visitinha para lhe convidar para ir conhecer o meu cantinho de artesanato, um espaço onde eu divulgo o meu trabalho com patchwork...

Adoraria vê-la por lá, bjssss

link: http://dincanto-atelier.blogspot.com

Kelly disse...

Dani conheci seu cantinho e estou seguindo...Tudo lindo por lá.
Beijos